16/01/2010

XIX - ASSIM

Assim como? Assim. Mas porquê? Realmente não sei, apenas sei que sim, que é assim, que sou assim. Mas deve haver uma razão? Um percurso talvez, familia, educação, decisões, fases, amizades, trabalho...muita coisa provavelmente, muitas razões. E tens a certeza? Não, não tenho a certeza de nada. Tenho a certeza que muitas vezes as frases estão a sair da boca e eu já as estou a confrontar com ideias que pretendem desmontar o meu próprio raciocinio. E porquê? Não sei, deve ser algo de inato. Algo que faço com os outros e obviamente comigo. As ideias são para ser confrontadas, adoro o estímulo de procurar desmontar uma ideia, principalmente as consideradas "grandes verdades". Os grandes pensamentos não não inabaláveis, evoluem, mutam. Tão simples assim? Nada disso, nada simples mesmo. É um processo contínuo, exaustivo e infindável. E o que é que as ideias têm a ver contigo...assim? Fácil, é porque eu sou uma ideia, sou uma ideia de mim, sou a ideia que os outros têm de mim...não sou verdadeiro porque não me conheço, apenas tenho uma ideia do que sou, uma ideia que procuro desmontar para melhorar, algo que tento entender com processos como este...assim.

8 comentários:

Pinkk Candy disse...

aloah

vim conhecer o teu cantinho através do cantinho da "Miss cCmplicações" :)

este teu post achei-o 'confuso' :S
será de mim...

xoxo

Pinkk Candy disse...

*Complicações

p.s: e para quê a verificação de palavras, que trabalheiraaaaaaa =P

Gosto... disse...

Lá para o fim da semana venho comentar este post...a uma segunda não tenho capacidades para tal...AHHAHA

ABRÇAOOOOOOOOOO

TT disse...

Pink Candy...confuso? Como ASSIM? :)
(obrigado pela visita...sempre bem vinda)

Gosto...fico à espera! Vê lá é sen no fim de semana não é pior! ;)

Gosto... disse...

Desisto...o meu amigo é muito à frente...não tenho hipótese de acompanhar este "Pensamento"...:D

Nirvana disse...

Haverá alguma coisa realmente inabalável? Talvez, mas acho que não. Se ficassemos sempre agarrados a ideias pré-concebidas ainda hoje achávamos que a Terra era plana, não?
Está mal, vou discordar logo no primeiro comentário. Mas não acho que apenas se tenha uma ideia do que somos. Acho que sabemos o que somos, que nos conhecemos. Podemos mostrar outra coisa, mas conhecemo-nos. Mas, tal como as ideias, também não somos inabaláveis e às vezes somos confrontados com situações, muitas vezes novas, que nos fazem apenas conhecer uma parte de nós que não conhecíamos, talvez porque até aí não tivessemos necessidade.

Miss Complicações disse...

No fundo todos somos apenas ideias, as quais ninguém sabe se são verdades ou não. Somos uma ideia para os outros, somos uma ideia para nós e quando confrontamos e somos confrontados, novas ideias surgem, ainda que nenhuma venha a constituir uma verdade incontestável.
Somos humanos, logo somos feitos de realidades subjectivas. Fossemos nós máquinas, seríamos resultado de meras programações, onde 2+2=4

TT disse...

Nirvana...antes de mais, bem vinda a este espaço! Embora digas que discordas, acho que o teu comentário está próximo do meu texto...quando digo "não me conheço" estou apenas a rejeitar o conceito absolutista do conhecimento!

A Miss Complicações, descomplica, quando diz "Somos humanos, logo somos feitos de realidades subjectivas".

:)