24/01/2011

XXXVIII - DAS COISAS QUE NÃO PERCEBO

Finalmente acabaram as presidênciais...já estava cansado de tantas campanhas vazias, discursos ocos e temas absurdos. Onde é que estava o futuro de Portugal nas campanhas?...desabafos à parte lá fui exercer o meu direito cívico (e não "dever", uma vez que um cidadão poder escolher o presidente é um direito que nos foi consagrado e que se prende mais com a "liberdade" e não tanto com o "dever"). Foi sinceramente um voto pouco estimulante, não me sentia, de facto, motivado por qualquer candidato, como em outras alturas em que pensei que o meu voto e a minha opinião poderiam realmente mudar o rumo das coisas.

Agora, o que realmente me surpreendeu foi o seguinte:

1. Fernando Nobre teve uma expressiva, e provavelmente merecida votação, de practicamente 594.000 eleitores (14,10%). No entanto fiquei perplexo com o seu nome: "Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre", é que chateia-me um pouco, para não dizer bastante, ter um possível presidente "de la Vieter";

2. José Coelho conseguiu 4,5% das votações, ou seja aproximadamente 189.000 votos, ou seja, o "tiririca" da madeira, superou largamente o que eu acharia que ia ser a sua votação...que na minha cabeça seria aproximadamente de 2 votos (o dele e o de um qualquer outro gajo que o confundiu com outro candidato). Deste lado não só não existia uma ideia de Portugal, como para satirizar a situação actual era um péssimo representante (lembremo-nos do saudoso João Vieira), o que me faz pensar que o estado actual das coisas é tão mau que os portugueses já nem distinguem uma boa comédia de uma piada de mau gosto!

De resto...nada me surprendeu...

08/01/2011

XXXVII - ACORDO ORTOGRÁFICO

[o acordo ortográfico parece-me algo mais ou menos assim...resistirei até ao último fôlego]
(fonte - "cá da casa")

30/12/2010

XXXVI - 2011

[fonte - produção "cá da casa"]

23/12/2010

XXXIV - COWBOY = IDIOT

Os Estados Unidos continuam a ser um território essencial para alimentar blogues, promover a sátira e a chacota. Desta vez foi o ilustre comentador da FOX NEWS, Bob Beckel, que defendeu em directo que as forças especiais norte americanas deviam abater Julian Assange, fundador do Wikileaks.

Então a frase é a seguinte: 
"A maneira de lidar com isto nos EUA é muito simples. Nós temos Forças Especiais. Um homem morto não pode revelar fugas de informação. Este homem é um traidor e quebrou todas as leis dos EUA. Eu não sou a favor da pena de morte - por isso a única forma de o fazer é matar ilegalmente o filho da mãe" (fonte) que aparentemente recebeu o apoio de outros comentadores do painel

E agora vamos analisar o brilhantismo do "cowboy":
1. Ele é contra a pena de morte nos EUA, mas é a favor das execuções feitas por americanos no resto do mundo!
2. Defende a "ilegalidade" como meio para atingir um fim...
3. Teve o brilhantismo, de associado a outros comentadores, reconhecer a existência de operações ilegais das forças especiais dos EUA fora de fronteiras.
4. Fez-nos lembrar o saudoso cowboy Bush, embora aposte que o original consiga fazer bem melhor, com tiros para o ar e caretas, enquanto nos lembra o "eixo do mal" (que parece ser uma espécie de triângulo das bermudas que está sempre a mudar de sitio).
5. O cenário "policias do mundo" lembrou-me o brilhante "Team America - World Police", um filme que recomendo vivamente.

Felizmente Julian Assange não parece usar cuecas de crude, senão já tinha sido dominado.....a bem da humanidade!

06/12/2010

XXXIII - (IN)SOLIDARIEDADE INSULAR

A semana passada ficamos a saber os Açores vivem à margem deste Portugal depressivo, recusando-se a aceitar os cortes salariais anunciados para 2011, ou seja, que estão em condições de compensar o corte salarial aos funcionários públicos (cerca de 3.700) com salários entre os 1.500 e 2.000 euros.

O presidente do Governo Regional vem inclusivé dizer que a medida compensatória "não custa um cêntimo".

Ora, como eu desconfio sempre destas coisas decidi fazer umas contas. Vejamos: 
- 5% de 1.750 euros, ou seja o valor médio entre 1.500 e 2.000 euros, dá 87,5 euros por mês por funcionário;
- Se multiplicarmos pelos 3.700 funcionários dá 323.750 euros por mês para a "medida compensatória";
- Se multiplicarmos por 14 ordenados / ano, dá a módica quantia de 4,5 milhões de euros (4.532.500).

Ou seja, ficamos a saber que a medida compensatória que "não custa um cêntimo" custa 4,5 milhões de euros por ano "do dinheiro que já está afecto aos Açores", que por sinal é enviado por contribuintes, e que por "contribuintes" entende-se a generalidade de contribuintes nacionais, dos quais se incluem os cerca de 3,6 milhões de funcionários públicos que vão ver a sua remuneração reduzida em 5%.

A única conclusão que posso tirar daqui é que os Açores estão num estado de desenvolvimento tal que podem perfeitamente retirar 4,5 milhões de euros (do orçamento do Estado afecto à região) para medidas insulares, insólitas e insolidárias. Ou seja, que não precisam de dinheiro para obras em escolas, hospitais, estradas, etc.

Fico a aguardar um orçamento rectificativo que retire estes 4,5 milhões de euros aos Açores. porque nós por cá precisamos de equipamentos, infraestruturas e de esforços em apoio social, uma vez que aqui estamos "todos" a ajudar no combate ao défice.

04/12/2010

XXXII - BACK TO THE NONSENSE

"É impressionante o efeito que umas visitas a um blogue "abandonado" têm. Após meses de abandono dei por mim a passear por aqui, a rir e sorrir, a lembrar-me de todos os momentos que motivaram "posts" mais ou menos absurdos, mas todos unidos por um elo que é o "ridículo", o ridículo do que nos rodeia no dia a dia, o ridículo que se esconde atrás de cada notícia, o ridículo dos meus pensamentos, o ridículo dos teus... não consigo abdicar de exercitar a massa cinzenta, assistir a uma ou outra situação e pensar "isto dava um bom post", de pensar nas reacções  de quem por aqui vagueia... Esta ausência foi um exercício simpático que espero colocar agora em pausa para conseguir dar um rumo a este espaço.

Entretanto tive uma ideia que espero por em funcionamento assim que seja possível, e para isso conto com a ajuda de todas as "almas" que vagueiam por estes espaços."

Entretanto do outro lado: 
"Bolas, este gajo nunca colocou aqui nada de jeito, e agora quer recomeçar?...completamente absurdo!!"

BACK TO THE NONSENSE